Linhas da ePiso são produzidas em PVC e imunes às pragas da madeira.

Spa Urbano da Morar Mais por Menos RJ 2016 – projeto de Anna Beatriz Fadul e Nilton Montarroyos

O verão brasileiro é sempre marcado como uma estação chuvosa. Com o aumento de precipitações e das temperaturas há maior umidade, criando um ambiente propício para infestações das “pragas urbanas.” Entre as mais comuns estão os cupins e baratas, que causam prejuízos aos móveis e revestimentos.

Dentro deste contexto, uma boa solução é a utilização de pisos sintéticos, produzidos em 100% PVC, como as linhas da ePiso (Wood Planks, EcoClick, EcoHome, EcoCorp, EcoContract, EcoContract Stripes) . Além de serem ecologicamente corretos por serem recicláveis, são imunes às pragas.

Desenvolvidos com cores e texturas baseadas na aparência natural de madeiras de diversos padrões, os pisos ePiso apresentam diversas características, como a durabilidade, a facilidade de limpeza e manutenção, a impermeabilidade, mas outro ponto a se destacar é o fato de que o piso, apesar dos padrões de madeira, é sintético, o que o torna imune ao ataque de pragas urbanas como baratas e cupins.

São Paulo sob ataque
No verão os órgãos de controle e combate as infestações, como o Centro de Zoonoses da cidade de São Paulo, recebem o dobro da média de chamadas e reclamações. Isso acontece em função do aumento das temperaturas, aliado ao da umidade, o que acaba criando um ambiente propício para a reprodução destes animais.

O resultado é a infestação de pernilongos, ratos, o aparecimento de escorpiões e, muitas vezes, a invasão promovida por um velho conhecido devorador de madeiras: o cupim.
No Brasil, das mais de duas mil espécies de cupins, há a predominância de duas principais, e ambas são invasoras, ou seja, não são nativas. O Cryptotermis Brevis, também conhecido como cupim da madeira seca, consegue viver até em madeiras de baixo teor de umidade. Por viverem dentro da madeira seca, eles acabam sendo transportados junto com móveis e acessórios em madeira infectada.

E desta forma a infestação se espalha. Geralmente, a prevenção é feita na fase da fabricação do móvel, quando produtos inseticidas são aplicados. Mas em se tratando de móveis já usados, o segredo da boa proteção é a atenção. O mesmo vale para os pisos, sendo que os vinílicos não sofrem ataques.

A presença de pequenos montinhos de pó de madeira ou asas ovaladas e transparentes são sinais claros da presença do inseto, e a melhor maneira de se lidar com o problema é chamar uma empresa devidamente autorizada e legalizada para combater as pragas urbanas.

É muito importante que a solução do problema seja feita por empresa especializada, já que os produtos utilizados para o combate ao cupim são muito tóxicos e a falha no combate, em geral, cria resistência e piora o problema já existente.

Serviço:
ePiso
(21) 2225-6277
episo.com.br
arqbrasil.com.br/prodaplic/episo1.htm