Com proporções mundiais, a epidemia do coronavírus causou uma mudança significativa em nossos hábitos e costumes.

Simonetto

Área de exercícios do site Casa de Valentina e home office projetado por Monica Pajewski – foto de Nenad Radovanovic,

Cuidados que antes passavam despercebidos e que não faziam parte da rotina – como trocar o calçado usado para caminhar nas ruas por um par de chinelos ao entrar em casa – começaram a fazer parte dessa nova realidade. E é muito provável que com o tempo essas mudanças deixem de ser apenas comportamentais e comecem a se refletir em outras áreas, como na arquitetura e decoração das casas, por exemplo.

Você sabia que as casas modernas, com janelas e entradas de ar em todos os cômodos, como as que estamos acostumados a ver hoje, só se tornaram padrão depois de grandes epidemias como a gripe espanhola e a tuberculose? Antes disso, era muito comum a existência de quartos sem janelas. Quando foi constatado que esse tipo de local aumentava as chances de propagação de doenças, esses cômodos passaram a ser proibidos.

Foi nessa época, por volta do século XIX, que as pessoas entenderam que a contaminação estava associada a higiene. Outras mudanças como a instalação de azulejos para facilitar a limpeza da cozinha, começaram a ser observadas.

Refletindo sobre o assunto, já podemos começar a nos questionar sobre quais serão as possíveis modificações que poderemos observar nas residências depois do Covid-19. E a Simonetto, empresa de móveis planejados especialista quando o assunto é arquitetura e decoração, traçou um panorama com algumas possibilidades. Confira:

– Móvel para guardar sapatos nas entradas das casas. Muito comum na decoração de residências em países asiáticos, a presença de uma sapateira ou móvel para guardar os sapatos dos visitantes antes de entrarem em casa pode ser uma das tendências no pós-coronavirus. Além de higiênico, é uma forma de deixar as energias ruins fora do lar, segundo a tradição oriental.

– Maior presença de lavabos. Outra tendência possível é a da instalação de lavabos, para facilitar a higienização das mãos logo quando as pessoas entrarem em casa.

– Mais entradas de sol e janelas. Como já foi comprovado, manter a casa arejada ajuda a evitar a proliferação de vírus e bactérias. Por isso é muito importante que todos os cômodos tenham janelas ou entradas de ar.

– Cantinho das atividades físicas. Sempre em pauta, a importância dos exercícios físicos ficou ainda mais evidente com o coronavírus. Exercitar-se é superimportante para o condicionamento físico e a manutenção da imunidade. É por isso que separar um espaço especial para a prática deve se tornar recorrente nos projetos residenciais daqui para frente.

– Home office. Trabalhar em casa, que já era realidade para algumas pessoas, pegou outras desprevenidas e essas se viram obrigadas a criar um espaço de trabalho em casa de um dia para o outro. Momentos como esse em que vivemos mostram a importância de ter um local dedicado ao trabalho e estudo dentro de casa. É provável que as pessoas busquem cada vez mais projetos de home office, para otimizar o espaço e ter um local confortável e funcional.

Sobre a Simonetto
Fundada em 1987, a Simonetto conta com mais de 30 anos de experiência no mercado de móveis planejados para todos os ambientes residenciais e corporativos), closets, dormitórios, home theaters e home offices. Em todos os segmentos oferece soluções práticas para projetos de alta qualidade, dentro do conceito de personalização com 100% de aproveitamento do espaço em altura e largura. Um de seus grandes diferenciais é que realizam a entrega de seus móveis aos lojistas com frota própria, o que torna o processo mais ágil. Possui mais de 50 revendas distribuídas em 12 estados brasileiros.

Serviço:
Simonetto
(46) 3547-8888
simonetto.com.br